Logo Estácio


Gestão Pública

Ementa: Estado, Governo e Administração Pública (AP). Campo de Públicas. Evolução da AP no Brasil. New

Public Management e Gestão Social. Teorias da AP. Pessoas na AP. Formação do gestor público. Terceiro setor,

tecnologias sociais e economia solidária. Gestão estratégica no setor público. AP por resultados. Gestão de

programas e projetos públicos. Políticas Públicas.

 

Bibliografia

ABRUCIO, F. L. Trajetória Recente da Gestão Pública Brasileira: um balanço crítico a renovação da agenda de reformas. Revista de Administração Pública, vol.41, pp. 67-86, 2007.

ALVES, M. A.Terceiro Setor: as Origens do Conceito. In: ENANPAD, Salvador. Anais do ENANPAD 2002. BOBBIO, N. Estado, governo, sociedade: para uma teoria geral da política. 2ª edição. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1988.

BRESSER PEREIRA, L. C. Da administração pública burocrática à gerencial. Revista do Serviço Público, n. 47, 1996. COSTA, F. L., CASTANHAR, J. Avaliação de programas públicos: desafios conceituais e metodológicos. Revista Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 37, n. 5, 2003, pp. 969-992. COSTIN, C. Administração pública. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010.

DENHARDT, R. B. Teorias da administração pública. São Paulo: Cengage Learning, 2013. FARAH, M. F. S. Administração Pública e Política Pública. Revista de Administração Pública, v.45, p.813 - 836, 2011. FISCHER, R. M. Estado, Mercado e Terceiro Setor: uma análise conceitual das parcerias intersetoriais. Revista de Administração – USP, Vol.40 n.1, 2005, pp.5-18.

FRANÇA FILHO, G. A problemática da economia solidária: um novo modo de gestão pública? Cadernos EBAPE vol.2 no.1, 2004. GUERREIRO-RAMOS, A. A nova ignorância e o futuro da administração pública na América Latina. Revista de Administração Pública, Vol. 17, No 1, 1983, pp. 32-65.

JANUZZI, P. M. Indicadores para diagnóstico, monitoramento e avaliação de programas sociais no Brasil. Revista do Serviço Público, v. 56, .2, abr/jun 2005, pp. 137-161.

KINGDON, John W. Como chega a hora de uma idéia? In: SARAVIA, Enrique e FERRAREZI,Elisabete (org.). Políticas públicas: coletânea. Brasília: ENAP, 2006. LIMA Jr., O. B. As Reformas Administrativas no Brasil: modelos, sucessos e fracassos. Revista do Serviço Público, 49(2), 5-31, 1998

LONGO, F. A. Mérito e Flexibilidade. A gestão das pessoas no setor público. São Paulo: Edições FUNDAP, 2007. LONGO, F. A consolidação institucional do cargo de dirigente público. Revista do Serviço Público , Brasília, ano 54, n. 2, p. 5-32, Abr./Jun. 2003.

MANCUSO, W. P. O empresariado como ator político no Brasil: balanço da literatura e agenda de pesquisa. Revista de Sociologia e Política, 28, 2007, pp. 131-146.

MARTINS, H. F., MARINI, C. Um guia de governança para resultados na administração pública. Brasília: Publix, 2010.

MATIAS-PEREIRA, J. Curso de planejamento governamental: foco nas políticas públicas e nos indicadores sociais. São Paulo: Atlas, 2012. MATIAS-PEREIRA, J. Curso de planejamento governamental: foco nas instituições e ações governamentais. 4.Ed. São Paulo: Atlas, 2014.

MOORE, M. H. Creating Public Value: Strategic Management in Government. Cambridge: Harvard University Press, 1997. MORAES, M. V. E. (2009). O Mito do Inchaço da Força de Trabalho do Executivo Federal. Revista ResPublica, Vol. 7 - No. 2. Brasília: ANESP.

MORAN, M., REIN, M., GOODIN, R. E. The Oxford Handbook of Public Policy. Oxford University Press, New York, 2008.

PALUDO, A. V., PROCOPIUK, M. Planejamento governamental: referencial teórico, conceitual e prático. 2.Ed. São Paulo: Atlas, 2014. PAULA, A. P. P. P. Por uma nova gestão pública: limites e potencialidades da experiência contemporânea. Rio de Janeiro: FGV, 2005.

ROCHA, R. A avaliação da implementação de políticas públicas a partir da perspectiva neo-institucional: avanços e validade. Cadernos EBAPE, v.2, n. 1, março 2004.

SHAFRITZ, J. M., HYDE, A. C. Classics of public administration. 7.Ed. Boston: Cengage Learning, 2012.

SHAFRITZ, J. M., RUSSEL, E. W., BORICK , C. P. Introducing Public Administration. 8.Ed. Edinburg: Pearson, 2014.

SIMIELLI, L., ALVES, M. A, Empresas agindo como atores políticos: um estudo de caso sobre uma coalizão em educação no Brasil. Anais do XXXV Encontro da Anpad,2011.

SOUZA, C. Políticas públicas: uma revisão da literatura. Sociologias, Porto Alegre, ano 8, nº 16, jul/dez 2006, p. 20- 45. TEIXEIRA, M. A. C. Estado, governo e administração pública. Rio de Janeiro: FGV, 2012.

THIRY-CHERQUES, H. R., PIMENTA, R. C. Gestão de programas e projetos públicos. Rio de Janeiro: FGV, 2015.

TORRES, M. D. F. Fundamentos da administração pública brasileira. Rio de Janeiro: FGV, 2012.

VIANNA, A. L. Abordagens metodológicas em políticas públicas. Revista de Administração Pública. v.30, n.2, p.5-43, mar.abr.1996.

COSTA, F. L.,  CASTANHAR, J. Avaliação de programas públicos: desafios conceituais e metodológicos. Revista Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 37, n. 5, 2003, pp. 969-992.

COSTIN, C. Administração pública. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010.

DENHARDT, R. B. Teorias da administração pública. São Paulo: Cengage Learning, 2013.

FARAH, M. F. S. Administração Pública e Política Pública. Revista de Administração Pública, v.45, p.813 - 836, 2011.

FISCHER, R. M. Estado, Mercado e Terceiro Setor: uma análise conceitual das parcerias intersetoriais. Revista de Administração – USP, Vol.40 n.1, 2005, pp.5-18.

FRANÇA FILHO, G. A problemática da economia solidária: um novo modo de gestão pública? Cadernos EBAPE vol.2 no.1, 2004.

GUERREIRO-RAMOS, A. A nova ignorância e o futuro da administração pública na América Latina. Revista de Administração Pública, Vol. 17, No 1, 1983, pp. 32-65.

JANUZZI, P. M. Indicadores para diagnóstico, monitoramento e avaliação de programas sociais no Brasil. Revista do Serviço Público, v. 56, .2, abr/jun 2005, pp. 137-161.

KINGDON, John W. Como chega a hora de uma idéia? In: SARAVIA, Enrique e FERRAREZI,Elisabete (org.). Políticas públicas: coletânea. Brasília: ENAP, 2006.

LIMA Jr., O. B. As Reformas Administrativas no Brasil: modelos, sucessos e fracassos. Revista do Serviço Público, 49(2), 5-31, 1998

LONGO, F. A. Mérito e Flexibilidade. A gestão das pessoas no setor público. São Paulo: Edições FUNDAP, 2007.

LONGO, F. A consolidação institucional do cargo de dirigente público. Revista do Serviço Público , Brasília, ano 54, n. 2, p. 5-32, Abr./Jun. 2003.

MANCUSO, W. P. O empresariado como ator político no Brasil: balanço da literatura e agenda de pesquisa. Revista de Sociologia e Política, 28, 2007, pp. 131-146.

MARTINS, H. F., MARINI, C. Um guia de governança para resultados na administração pública. Brasília: Publix, 2010.

MATIAS-PEREIRA, J. Curso de planejamento governamental: foco nas políticas públicas e nos indicadores sociais. São Paulo: Atlas, 2012.

MATIAS-PEREIRA, J. Curso de planejamento governamental: foco nas instituições e ações governamentais. 4.Ed. São Paulo: Atlas, 2014.

MOORE, M. H. Creating Public Value: Strategic Management in Government. Cambridge: Harvard University Press, 1997.

MORAES, M. V. E. (2009). O Mito do Inchaço da Força de Trabalho do Executivo Federal. Revista ResPublica, Vol. 7 - No. 2. Brasília: ANESP.

MORAN, M., REIN, M., GOODIN, R. E. The Oxford Handbook of Public Policy. Oxford University Press, New York, 2008.

PALUDO, A. V., PROCOPIUK, M. Planejamento governamental: referencial teórico, conceitual e prático. 2.Ed. São Paulo: Atlas, 2014.

PAULA, A. P. P. P. Por uma nova gestão pública: limites e potencialidades da experiência contemporânea. Rio de Janeiro: FGV, 2005.

ROCHA, R. A avaliação da implementação de políticas públicas a partir da perspectiva neo-institucional: avanços e validade. Cadernos EBAPE, v.2, n. 1, março 2004.

SHAFRITZ, J. M., HYDE, A. C. Classics of public administration. 7.Ed. Boston: Cengage Learning, 2012.

SHAFRITZ, J. M., RUSSEL, E. W., BORICK , C. P. Introducing Public Administration. 8.Ed. Edinburg: Pearson, 2014.

SIMIELLI, L., ALVES, M. A, Empresas agindo como atores políticos: um estudo de caso sobre uma coalizão em educação no Brasil. Anais do XXXV Encontro da Anpad,2011.

SOUZA, C. Políticas públicas: uma revisão da literatura. Sociologias, Porto Alegre, ano 8, nº 16, jul/dez 2006, p. 20-45.

TEIXEIRA, M. A. C. Estado, governo e administração pública. Rio de Janeiro: FGV, 2012.

THIRY-CHERQUES, H. R., PIMENTA, R. C. Gestão de programas e projetos públicos. Rio de Janeiro: FGV, 2015.

TORRES, M. D. F. Fundamentos da administração pública brasileira. Rio de Janeiro: FGV, 2012.

VIANNA, A. L. Abordagens metodológicas em políticas públicas. Revista de Administração Pública. v.30, n.2, p.5-43, mar.abr.1996.

WALDO, D. O estudo da administração pública. 2.Ed. Rio de Janeiro: FGV, 1971.