Área de Concentração

EDUCAÇÃO E CULTURA CONTEMPORÂNEA

A centralidade da Cultura como elemento constituidor e definidor da sociedade levou à multiplicação das abordagens epistemológicas e políticas da sociedade. Centradas na cultura, tais abordagens produzem entendimentos múltiplos e diversificados sobre os fenômenos sociais e educativos, os perfis e identidades dos atores/sujeitos materiais e imateriais neles envolvidos, exigindo um incremento da produção de conhecimento no campo educacional, que é o que busca fazer o Programa de Pós-Graduação “Educação e Cultura Contemporânea” da UNESA para instaurar sua reflexão sobre a educação brasileira.

O eixo norteador do Programa é o estudo, por meio de diferentes abordagens, sobre as questões nucleares que marcam a compreensão da centralidade da cultura nas sociedades contemporâneas e suas relações com os fenômenos educativos. Isso significa que, nas diferentes temáticas abordadas nas suas linhas de pesquisa, são desenvolvidas reflexões acadêmicas considerando os processos contemporâneos de globalização, suas características e influências sobre o sistema-mundo, seus efeitos sobre a sociedade e a cultura brasileiras e os desdobramentos desses nas funções sociais, pedagógicas e políticas das instituições educativas e, especificamente, sobre os profissionais da educação.

As linhas de pesquisa são: Políticas, Gestão e Formação de Educadores (PGFE), Representações Sociais e Práticas Educativas (RSPE) e Tecnologias de Informação e Comunicação nos Processos Educacionais (TICPE).

 

Linhas de Pesquisa

Apresentação

As linhas de pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Educação articulam-se à área de concentração como possibilidades de enfrentar os desafios da educação na sociedade contemporânea. São recortes específicos que visam permitir o aprofundamento do trabalho acadêmico no campo educacional, na perspectiva da centralidade da cultura na contemporaneidade e de algumas de suas especificidades atuais, valorizando o papel dos aspectos culturais em suas abordagens dos problemas educacionais. Trata-se, portanto, de enfatizar as relações entre cultura, suas múltiplas manifestações, e a educação, a partir de uma problematização do presente, fornecendo, assim, um direcionamento para a reflexão sobre questões que a cultura contemporânea apresenta.

Linha de Pesquisa: Políticas, Gestão e Formação de Educadores

A linha POLÍTICAS, GESTÃO E FORMAÇÃO DE EDUCADORES (PGFE) centra sua atenção no estudo das políticas públicas em Educação e das reflexões epistemológicas, políticas e metodológicas que lhes são próprias, considerando elementos relacionados à gestão do sistema educacional brasileiro e das unidades educativas e à formação de educadores. Atua, também, nos campos do planejamento e das reflexões voltadas para o estudo teórico e análise de políticas, na perspectiva dos modelos e abordagens utilizados no campo e em seus processos cotidianos de efetivação. Questões como a da qualidade da educação em geral e do ensino, em particular, nos diversos níveis e modalidades de educação, as perspectivas teórico-práticas de compreensão dos processos de formação de professores e gestores de sistemas e unidades escolares e de espaços não formais de ensino vêm sendo pesquisadas assumindo-se a necessária articulação entre os conhecimentos dos diferentes atores sociais envolvidos na tarefa de educar. O objetivo é ampliar olhares possíveis sobre as diferentes políticas educacionais, sejam elas relacionadas ao ensino, ao sistema educacional, à gestão ou à formação de educadores. Vem-se, também, aprofundando o estudo da formação e profissionalização docentes.

A linha PGFE vem focalizando, notadamente, os seguintes núcleos temáticos: (a) práticas de docência e gestão em instituições da Educação Básica; (b) políticas de formação inicial e  continuada de professores para a educação básica e superior; (c) parcerias público-privadas; (d) gestão democrática, problematizando os conceitos de participação, regime de colaboração e responsabilização social; (e) financiamento, regulação e judicialização das políticas educacionais; (f) políticas e práticas educacionais cotidianas e suas relações com a emancipação social.

:: Projetos de Pesquisa


Linha de Pesquisa: Representações Sociais e Práticas Educativas

A linha de pesquisa REPRESENTAÇÕES SOCIAIS E PRÁTICAS EDUCATIVAS (RSPE) aborda os processos de produção de significados de objetos de interesse da educação, suas relações com a cultura, suas implicações nas práticas dos agentes educativos e sua contribuição para a construção de identidades. A articulação desta linha com a área de concentração parte do fato de que as profundas mudanças que marcam a cultura contemporânea trazem consigo novos valores, sentidos sociais e modelos de comportamento que configuram outras formas de viver e de se relacionar, frente aos quais é necessário que nos posicionemos, construindo ou modificando nossas representações e identidades. As representações, como significados atribuídos aos objetos sociais, integram e reconstroem informações e experiências relativas ao objeto, filtrando-as no crivo de valores, crenças, modelos e normas que caracterizam as pertenças dos indivíduos e suas referências. A memória social é parte constitutiva da gênese das representações, pois o novo é sempre apropriado com base nos significados historicamente construídos e socialmente compartilhados, ou seja, modelados pelos valores que dão forma àquela cultura. Ao construir suas representações, o sujeito (indivíduo ou grupo) expressa, ratifica ou retifica valores, crenças, ideais, códigos socioculturais, experiências afetivas, enfim, constrói e expressa tanto relações e afetos quanto uma identidade histórica e contextualmente situada. As representações estão necessariamente relacionadas às práticas cotidianas e às identidades pessoais e grupais. A construção de um repertório comum de representações contribui para configurar a identidade de um grupo, pois essas representações vão reforçar sentimentos de proximidade e de pertença e, ao mesmo tempo, distinguir os que não partilham daquele repertório. Será esse repertório que orientará as comunicações e as práticas cotidianas.

:: Projetos de Pesquisa


Linha de Pesquisa: Tecnologias de Informação e Comunicação nos Processos Educacionais

A linha de pesquisa TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NOS PROCESSOS EDUCACIONAIS (TICPE) aprofunda a discussão referente à emergência e disseminação dessas tecnologias na sociedade contemporânea, analisando seus impactos em processos educacionais e avaliativos, sobretudo na educação a distância. As discussões dessa linha partem das tensões entre, de um lado, as mudanças tecnológicas e o fenômeno da globalização, que reconfiguram a cultura contemporânea e, de outro, o campo da educação. Focalizam o impacto das tecnologias de informação e comunicação no cenário contemporâneo e suas implicações nos modos de ver, de viver e de conviver no mundo, os quais, por sua vez, refletem-se na escola, exigindo a redefinição de suas funções e das práticas docentes, bem como um novo perfil de educador, capaz de compreender e de lidar adequadamente com essas mudanças, de modo a valer-se delas para promover a inclusão. A produção intelectual (pesquisas docentes e discentes, artigos e dissertações) concentra-se no impacto da cibercultura e das novas tecnologias da informação e da comunicação sobre os processos educacionais, analisando as novas demandas feitas aos atores e aos ambientes de ensino-aprendizagem, bem como as possibilidades abertas a uma educação inclusiva por esse novo cenário.

:: Projetos de Pesquisa